terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Debruçado
Em belas
Pranchas &
Telas
Debret
Ilustrou o
Brasil e
Delas
Fez
Num só quadro
Uma raça
Das três.                          Moduan Matus.

Haverá amor
Mate
Mático?
Conta
Ricardo
Kubrusly
Coberto pelos
Arcos da
Lapa
Cheios de casais.                  Moduan Matus.

Mário Laginha
Maria João
Moram
Numa nota
Sol
Temporão
Para que
A terra
Volte a ter
O som
Grão
Crescendo
Do chão
Feito pé
De feijão.                               Moduan Matus.

Ana
Elisa
Merca
Dante
Marca
Alisa
Nana
Diante
Aos ritos
Da noite
Nunca dantes
Do dia
As Ritas
Radiantes
& Os ratos
Da tarde adiante
Irradia a arte
Do seu sonhar poesia.                           Moduan Matus.

Na Grécia
Aristófanes
Poupa
O que hoje
Ainda é:
Encastelados
Pássaros
Em ninhos
Nas nuvens
Do bel-prazer
E ao ideal
Do povo
Suster.                                 Moduan Matus.

Aglomerações
Relevantes de
Sérgio de
Camargo
Marcam ao
Largo a
Esfera e
Esculpindo
À vera &
Reverbera.                           Moduan Matus.

A pá de
Achocolatados
Umpa
Lumpas
Em braços
Cruzados
Reivindicou
De Roald
Dahl
A fundação
Museu
Em pagamento
Ancestral.                             Moduan Matus.

O gás
Hélio
Oiticica
Infinita
Mente
Versátil de
Parangolés
Penetram as
Cama
Das
Prostituídas.                         Moduan Matus.

O espírito
Das leis
Para
Montesquieu
Vem do poder
De três:
Legislativo
Executivo e
Judiciário
Mas
A matéria
Continua povo
Em seu calvário.                 Moduan Matus.

Três raças
Tem seu
Canto:
O encanto
A luz
E o santo.
Clara
Nunes
Guerreira
À guisa
De guizo
Instaura seu
Terreiro de
Guisado &
Tutu à mineira.                         Moduan Matus.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Signos: Poemas-Instalações

(In)visíveis
Cotidianos de
Carlos
Orfeu
A sangria em
Veia poética
Expõe fraturas
Vieses viscerais
Transpasse
De adaga
Transparente
Que indaga
Não-presenças
Ao intestino
Urbano.                          Moduan Matus.




Exposto
O Davi de
Michelangelo
Vai além da
Nudez do
Humanismo
Renascentista
Concebendo
Florença
De belas artes
No aguardo
Cultural
De dia
De noite
Ante ao
Juízo final.                  Moduan Matus.




Na passagem
Passaradas
Flore
Ando
Hiroshigue
Pint
Ando
Pintassilgos
Cant
Ando
Canaletes
Rios
Passando
A natureza
Maravilhando.                Moduan Matus.



Do céu da
América
Latina
Aires da
Libertação
De Enrique
Dossel
Duma situação
Coletiva
Mazelas dos
Ocultamentos
Duma opressão.                Moduan Matus.


Um
Pequeno
Rouxinol
Pousa
De bico em
Bidu
Sayão
Soprano
Quatro
Cantos
No salão.                        Moduan Matus.



Sete vistas
E vícios
Vestem
Dostoievski
Que vive de
Conflitos
& castigos
Que o aflitam
Mas
Donde
Evoluções
Suscitam.           Moduan Matus.


Al
Fred
Rry
Ri
Da
Ridícula
Regra.
Que em
Pata
Física
O amor absoluto e
Solta as
Amarras
Ao
Vento-caos.               Moduan Matus.



Dos
Prazeres
Heitor
Ingênua
Mente
Satis
Fez
Quando
Pintou
A mulher
Do malandro
De tudo
Sambando
Sua tez.                       Moduan Matus.



Em Lesbos
Não ilhada
Safo
De quase nem
Safar-se
A poesia
Além da
Identidade
Safista
De linguajar
Intimista
Em nada
Safada
Apenas
Despida e
Despudorada.                   Moduan Matus.



O
Currículo
Do tempo
Na madeira
De lei
De Antonio
Costella
É ela a
Taboa de náufrago
Que na distância eterna
Atravessa
Mar
Cando o cenário

Numa tela.                      Moduan Matus.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Signos: Poemas-Instalações

As cidades de
Miquel
Navarro
Respiram
Olhares
Verdes e
Almejam
Nuvens
De gelo
Seco
Entre as
Torres de
Hologravuras.                             Moduan Matus.

***

Impressões de viagens
Por caravanas desbundadas
Soltam as margens
Das estradas
Delineando
Rotas não rótulos
Um não-querer
De interiores modulados
Ou ondas pré-fabricadas
Marcando o início
Meio a ciranda
Feita ibidem de
Heloísa Buarque  
“Brasilense” de Hollanda.                  Moduan Matus.

*** 


Betty
Min
Dlin
Inicia-se
Tintim
Por
Tintim
Do timbre
Da tribo
Que brinda e brinca
Plantando
Mandioca &
Amendoim.                     Moduan Matus.

***

Para
Nenê fadado
Chupeta
Pela guarnição
Guardada fardada
Falada de
Gianfrancesco
Guarnieri
Enquanto pessoas
Malfadadas
De Black-tie
Na sala de jantar
Em aguados aguardos
Agarram a guarnição em
Segredos e
Resguardos.                        Moduan Matus.

***

Amor solto
Betty boop
Choque rock
Look louco
Rola jorra
Júnior em
Jota erre e jazz
Em pop rouco
Num pente fininho e
Vai deitando cabelos
Pelos arrepios
Após um blues
Bão balalão que
Pipoca outro
Bee bop du bão.                  Moduan Matus.

***

Gigi da
Cunha
Lima adentra
Enxada
Duma unha
Nos dedos
No pé
Em sambas
Bambas
Ao gosto
Semiótico
Em terra
Exposto
Escrito
Estampado e
Pleno
De suor do rosto.                 Moduan Matus.

***

Beba
Tomie
Ohtake
Tudo
Na pa
Rede
Ou no chão
Deixando
Nossas
Novas
Formas em
Exposição.                    Moduan Matus.

***

Cultura de massa
Tocando na televisão
Tipificando
Grotesca comunicação
Municiando
Muniz Sodré
Em sobremaneiras
Sobre perdas
Sobrepostas
Sobre marcas
Sobressaídas
Em atiçamentos
Leiloativos na
Cortina de fumaça.                      Moduan Matus.

***

Li
Bo
Li
Ber
Ta
Sim
Bo
Los
Como
Gosto
Da língua
No mosto.                       Moduan Matus.

***

Luiz
Vilela
Viola &
Violino
Tudo no
Tempo
Contando
Cantares &
Tremores
Desses em
Nosso
Destino.                          Moduan Matus.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Signos: Poemas-Instalações

Casa de terra
Água
De inquieta
Henriqueta
Lis
Boa
Chama de poesia
Escrita no ar
Azul
(do amor)
Cor
Cel
Que voa
Plantando
Loa & f lor.                        Moduan Matus.



O trino em
Utrillo
Aponta
Céu
Acima
Das catedrais
Em bico de
Foguete.
Fiéis sempre
Assentam
Em números
Esperando
Com a partida
Botar mais fogo
No inferno.                             Moduan Matus.




O sangue
Das palavras de
Marlos
Degani
Escorrem
Pelo
Frio
Fio
Íon de
Aço
Tecido
Do cio
E do corte
Dialético
Onde gotas
Híbridas
São ligas entre
Chegadas &
Par ti das.                        Moduan Matus.



Nos bichos
Tudo é
Gestu
Arte
Elege
Claqueteando
Lígia
Clark.                                 Moduan Matus.




Arde a tarde
Os minutos
Transfiguram-se
Somando
Sonetos
Em seu caminhar.
Súdito da noite
Paulo Bomfim
Começa a
Ter a sensação
De voar entre
As cambraias no varal
Versando
Em tempo
Reversível.                          Moduan Matus.




Gaudí
Projeta sonhos
Contorcionando
Circunflexas
Origens
Por canteiros
E outeiros
Enquanto que
Nas paralelas
Um bonde
Atrita
A massa.                                      Moduan Matus.



Hedonistas
Cairo de
Assis &
Denizis
Trindade
Dupla
A qual
Invade
Literal(mente)
Penetrando
Em buracos&cabeças
Feitum poema
Pra ser
Pornô (gráfico)
Prazer.                                  Moduan Matus.



Lindo! O
Lundu na
Viola de
Lereno
Ganha
Terre(no)
Romantismo &
Na voz
Dengosa de
Domingos
Caldas
Barbosa.                                  Moduan Matus.



Joris
Ivens
Inventa
Argumentando
Documentando
Comentando
Filmando
Anseios
Do seio
Poético
Político.
Históric(as)
Pontes
De crivo
Crítico.                               Moduan Matus.



Em guerra
No beco do
Tempo
& eternidade
Tal
Negra
Fulo
A sair e o
Anjo
Órfico
Jorge
De
Lim(a)

Polir.                                Moduan Matus.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Signos: Poemas-Instalações

Agulhad(a)
Alinha
Do
Walter
Alfaiate
Ata:
Vai ter
Samba
Com
Posto
Com
Ponto
Com
Couro
Com
Coro
Com
Corda.                                       Moduan Matus.




Esopo
Quase mudo
Quase seco
A fonte de
La Fontaine
Deu corda
& caçamba
Concordando
Contando
Com
Fabula
Com
Crianças
Saciando-se
No manancial
Do imenso
Quintal.                                     Moduan Matus.




Entre
Mil coisas de
Polis
Ei-la
Leila
Míccolis ali
Colhendo
Descrevendo
Reescrevendo
Homemulher
Vícios e(m) versos
Esses
Paradigmas
Esses
Estigmas
Que ama(l)
Gamam.                                     Moduan Matus.




O mundo de
Vik
Muniz
Humanizado
Num flash
Por um rosto
Quando
Viu a bala
Munição
Acertar sua
Ilusão
Com mais
Modelação.                                   Moduan Matus.




Cabeça em
Carrossel
De luz
Ilumina
Lewis
Carroll
Que
Me
Nina
Alice em céu
Alicerçando-se
No sono
Nonsense
Eterno
Da meni
Nice.                                       Moduan Matus.




Equilibrada
No ritmo
Da capoeira
Mestre
Pas
Tinha a paz
Tinha a força
Da terra
Noutro ângulo
Em contento
Solto ao vento
Entre pés
Mãos
Sons
Plantas
Palmas &
Movimento.                            Moduan Matus.




Certas cariocas
Na invenção do feminismo
Faz
Hélio
R. S. Silva(r)
Pelas ruas &
Bastidores
Onde rodam
As baianas
E rufam os tambores
Das desenvolturas
Além da
Androginia.                       Moduan Matus.




Em
Estado de
Coma
Alex
Flemming
Pede pizza
Para viag(em)
Próximo
Endereço
Na terra
Da garoa
Quando sua
Hora soa.                             Moduan Matus.




Brinca
Ziembinsky
Vestido
De noiva
De mulher
De brinco
De peça
Em cenário
Fagueiro
À beça
Figura (ndo) no
Figurino
Iluminando
As beiras
Lineares
Da estrada
Começada e
Infinita
Mente
Inacabada.                     Moduan Matus.




Pela
Alma de
Almir
Guineto
O nosso
Gueto
Que samba
Nunca
Ficará
Quieto.                        Moduan Matus.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Signos: Poemas-Instalações


Acesa vela
A Vila da Penha e
Eud
Pestana
Menestrel
Canta a pedra
Em trocadilhos
E em pop poesia urbana
Escalando
Escalonando
Os otimizados
Degraus
Da catedral
Que do alto
Vê nascer
A verve que serve
Ao esfuziante prazer.           Moduan Matus

domingo, 2 de julho de 2017

Signos: Poemas-Instalações

Versejando
Noites
Chico
Lins
Ins
Pira-
-se
De sonhos
Como
Nau
Fragos em
Tragos
Flagelam-
-se no
Asfalto.                                              Moduan Matus.





Mira &
Delira a
Lira & o
Povo de
Djanira
Fazendo
O mundo
Em seus
Costumes
De sempre
Suster
As cores
No fundo.                                            Moduan Matus.




António
Nobre
Em
Se desventura
Mas sob a
Influência
Da lua
Junto a uma canção
De felicidade
Exulta o pobre.                                  Moduan Matus.





Dio
Nísia
Floresta
Brasileira
Augusta
De peito
Libertè
Expandiu
O ar
Feminino
De cor
Além dos
Pulmões.                                            Moduan Matus.





Soa & sua em
Ricardo
Soares o
Caldo o
Sino no
Cine &
Vertigem
Do gen
Quem
Quem
Quem
Que
Sua
Origem
Tem.                                                   Moduan Matus.




Elegia &
Aquarela
Lygia
Bojunga
Conjuga
Daquela
Janela
O quê que
Raquel
Quiser
Da casa
E da cornucópia da
Bolsa amarela.                                    Moduan Matus.




A luz do dia
Nos recortes
A paisagem da tarde
Risca & arde
Quando
Richard
Ave
Don voa
Do(min)ando
Ruas &
Radiofotos de
Seus mo(vi)mentos.
Roupas sempre serão
Mais que simples
Objetos e rostos
Quando ao vento.                                 Moduan Matus.




Mesmo em olhos secos
Ressurgiu das sombras de
Angola as
Asas da nova
África
Numa aurora
Em espeques
Nos musseques
Livre do veto a
Sagrada esperança
Apontada
Disparada de
Agostinho
Neto nos
Augustos versos.                           Moduan Matus.




Rutila
Augusto
Ruschi
Pajelando
Pólen
Rústico
No ar.                                        Moduan Matus.




Deus
Lhe
Pague
Joraci
Camargo
Por
Tantas &
Tudo
Onde &
Quando
Foi
Descortinando.                           Moduan Matus.